.

..

quinta-feira, novembro 11, 2004

 

O Código da Vinci

(Desta vez não é o Código David Lynch)

Eu li. E por isto há um grupo de pessoas que falam comigo sobre o livro, que concordam comigo que é bom e vale a pena ler. Ao mesmo tempo, há um grupo aproximadamente igual de pessoas que me vão bater com tacos de golf (provavelmente da SportZone) e depois passar por cima do meu maxilar com o pneu de um Renault Scénic ou um Wolkswagen Polo. E com o carro montado no pneu e tudo.
Isto porque há uma legião de leitores que decidiu que o Código da Vinci não era digno de ser lido. Estes leitores não são más pessoas, eu dou-me perfeitamente bem com alguns. Bom alguns são más pessoas mas não é por não lerem o livro.
Portanto este post não é uma crítica. Só quero dizer que acho que esses leitores estão errados, que deviam pensar um pouco, e que não percebo quando vejo comentários como "tenho coisas mais importantes para fazer que ler o Código". Afinal, se não o leram, como conseguem situá-lo na escola do bom e do mau? E sendo assim, como conseguem situá-lo acima ou abaixo do resto das coisas que têm para fazer, na escala do bom (ou mau)?
Bom, nestes casos o único dado que se tem do livro é o facto de toda a gente ler. E se é assim que se classifica algo como mau... bom: usar meias é mau. Portanto quem não quer ler o Código da Vinci que faça o favor de andar nú. E de não comer, já agora. É que toda a gente faz isso e, por amor de Deus, é mesmo foleiro1.



Notas:
1 Ironia.

Comentários:
para não dizer brilhante porque ficas convencido, fica só este comentário: não mudava nada :p
 
Eu li e gostei, achei interessante e captou-me a atenção desde a primeira à última página. Achei um bom policial.
A única crítica negativa que tenho a fazer ao livro é a miscelânea entre factos históricos e ficção. Acho que aquela advertência no pórologo (ou prefácio) de que "todas as descrições de todos os monumentos são absolutamente minuciosas e reais" leva as pessoas a lerem TUDO como se fosse também real.
Eu não acharia nada perturbante, mesmo que fosse real. Acontece é que não há nem uma prova de que seja e o Código, aparece quase como se fosse essa prova: isso acho foleiro. De resto, como leitura... é fantástico!

A não ser que se goste de ler só Stendhal, ou Hemingway, ou Steinbeck, ou Breton, ou Artaud, ou Cesariny, ou Beaudelaire, ou... afins (só coisas muito boas, tratados para a humanidade). Não é o meu caso. Eu adoro ler os citados, os muito bons e os bons, como o Código (também li Agatha Christie - acho o Código do mesmo género, mais moderno). :)
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

Arquivos

Junho 2004   Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Junho 2005   Julho 2005   Agosto 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Agosto 2007   Dezembro 2007   Janeiro 2008   Fevereiro 2008   Março 2008   Abril 2008   Junho 2008   Julho 2008   Agosto 2008   Janeiro 2009   Janeiro 2012  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]