.

..

terça-feira, agosto 01, 2006

 

Duas coisas hoje

Se há momentos em que penso no que passa pela cabeça das pessoas, um dos momentos é quando tropeçam em sítios públicos (exemplo, nas escadas da estação de metro) e depois olham para trás, para as outras pessoas, e grunhem qualquer coisa a falar mal das escadas ou como o metro devia ter ali um aviso ou como aquele degrau é defeituoso. E quando isto acontece estão a tentar criar aqui uma ligação, uma intimidade, uma partilha da frustração do tropeção na qual não interessa a ninguém.
O que se passa aqui é que me estou a cagar para o que a pessoa possa vir a dizer a seguir. Não tenho vontade de me associar a ela e encontrar uma causa que partilhemos e que possamos culpar pelo tralho da pessoa. A pessoa tralhou porque ia a olhar para o outro lado. E fez um figurão de idiota quando caiu, e deu-me uma vontade de rir na cara dela como o caralho!! Hahahah! Estúpida! Ninguém quer saber do resto. Culpa os degraus, culpa a gerência do metro, tenta salvar a tua dignidade, o facto é que ninguém quer saber disso. Não vale a pena olhar para trás, procurar os olhos cheios de compaixão do resto das pessoas, e culpar o degrau com cara de quem diz "Este país é uma miséria, nem escadas de jeito tem". Quando alguém cai, é automaticamente excluído e escorraçado, é diferente, é inferior, não tem que se relacionar com os outros nem pelo olhar porque os restantes só estão ali para que ele se lembre do quanto acabou de ser ridículo. Estamos ali para que a pessoa tenha vontade de enfiar a cabeça na areia e esconder-se um ano ou dois.
Não há compaixão quando alguém tropeça e cai. É mesmo só isto. Não vale a pena procurar integração nos olhos dos outros. Culpar o degrau ainda piora a situação. Já que não nos livramos da humilhação, do riso interior dos outros, mais vale recorrer ao "damage control", olhar para a frente e seguir. Idiota de merda.

Já que aqui estou, que merda de expressão "rir a bandeiras despregadas". Quem será que inventa estas merdas? Desde quando é que "bandeiras despregadas" se tornou um modo de fazer alguma coisa? De rir, neste caso. É que não há relação possível, não há maneira de ligar o verbo "rir" ao conceito "bandeira despregada" que me dê uma pista do quanto a pessoa está exactamente a rir. É tão claro para mim como dizer "Estou a cozer bacalhau como se ondas da praia!".
E se houver um motivo para esta expressão existir, eu sugiro que ele seja esquecido e deixemos de usar a frase e pronto. Porque se eu, um tipo tão inteligente, não consigo entender a ligação rebuscada que se faz aqui, então é rebuscada demais para o resto do povo e não vejo porque não deveríamos deixar esta expressão de merda cair no desuso.

Comentários:
Também há aqueles que tralham, ficam no chão 30 seg a rir, em vez de se levantar rapidamente :p

Realmente as escadas do metro são muito propícias a tralhos. Porque será?! "Err... acho que tenho 1 comboio para apanhar dentro de 1 min."
 
Oi Zoe
Obrigado pela visita.
Eu também não achei o Beirut com o Evillyrics, só da música Postcars from Italy. Discos de bandas novas costumam demorar pra aparecer as letras, mas tudo bem.
Bem legal o teu blog. Vou colocar um link no meu.
 
:D eu sou das k tralham, mas começam a rir "como se não houvesse amanhã":p

Olha e tu fizeste-me rir a bandeieras despregadas com este texto. Fizeste-me rir, pronto.
São coisas do arco da velha:P (wtf!)

sunny**
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

Arquivos

Junho 2004   Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Junho 2005   Julho 2005   Agosto 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Agosto 2007   Dezembro 2007   Janeiro 2008   Fevereiro 2008   Março 2008   Abril 2008   Junho 2008   Julho 2008   Agosto 2008   Janeiro 2009   Janeiro 2012  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]