.

..

segunda-feira, março 06, 2006

 

"- Nástenka! - repliquei-lhe num tom importante e severo, mal contendo o riso - Querida Nástenka, sei que conto as coisas mravailhosamente, mas, desculpe, não sei fazê-lo de outro modo. Agora, querida Nástenka, sinto o meu espírito igual ao do rei Salomão, que passou mil anos dentro de um cofre selado com sete selos e a que finalmente quebraram os selos. Agora, querida Nástenka, que nos voltámos a encontrar depois de uma longa separação - porque eu conheço Nástenka há muito tempo, porque eu ando há muito tempo à procura de alguém, o que significa que andei à procura precisamente de si e que estava destinado encontramo-nos agora -, na minha cabeça abriram-se mil válvulas e preciso de derramar-me num rio de palavras, senão asfixio. Portanto peço-lhe que não me interrompa, Nástenka, que ouça com submissão e obediência; senão calo-me."

Comentários: Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

Arquivos

Junho 2004   Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Junho 2005   Julho 2005   Agosto 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Agosto 2007   Dezembro 2007   Janeiro 2008   Fevereiro 2008   Março 2008   Abril 2008   Junho 2008   Julho 2008   Agosto 2008   Janeiro 2009   Janeiro 2012  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]