.

..

terça-feira, junho 07, 2005

 

Qualidade transcende o gosto

Estou na escola. Há cerca de 23 horas atrás estava no bar lá de cima e enquanto pedi qualquer coisa ao balcão, duas raparigas comentavama a insuportabilidade de Billy Corgan (nomeadamente da voz, suponho, porque não imagino que algum dia tenham vivido com ele). Bom até aqui tudo bem, há pessoas e pessoas, ouvidos e ouvidos, cada tímpano é sensível a diferentes timbres, diferentes comprimentos de onda, diferentes vibrações do ar. Que elas não suportem a vibração que as cordas vocais de Billy Corgan produzem, até sou capaz (com algum esforço) de perceber.
Depois dizem que não são capazes de entender como é que há quem o considere um génio da música. Bom eu só ouvi 3 ou 4 músicas dos Smashing Pumpkins. Dos Zwan, talvez dois singles e nenhum mais que duas vezes. Eu suporto Billy Corgan e a sua voz. Não é de perto o meu preferido, ouço apenas com certo gosto, e nada disso me impede de reconhecer talento na sua composição, em qualquer uma das bandas e provavelmente também a solo (que ainda não ouvi). Já da música da Shania Twain gosto muito pouco. Mas admiro a capacidade vocal dela, acho fantástica. E em certos momentos gosto mesmo de ouvir uns refrões das músicas dela porque admiro vozes poderosas.
Sinceramente, acho clichés demais as coreografias dos videos de Usher e as letras estão na mesma gaveta. Mas há detalhes muito inteligentes na música que ele representa. Composições complexas que requerem algum talento (não sei se é o dele, mas isso é irrelevante quando aprecio).
Há qualidade em variadas coisas, gostemos delas ou não. Afinal, Smeagul é uma personagem horrível, mas extremamente bem feita. Ninguém pode dizer que a equipe de caracterização dos filmes Star Wars é uma merda só porque Darth Sidious mete vómitos. Não é por ser desagradável para os olhos que as coisas se tornam bem ou mal conseguidas. Do mesmo modo, não é por serem agradáveis ou não para o ouvido.
Ou seja, a qualidade de cada coisa transcende o gosto pessoal de cada um. Qualidade transcende o gosto. Fim.
Sim, seria um mundo monótono se todos gostássemos apenas de qualidade. Claro, todas as críticas seriam iguais e não haveria isso de "gosto" como hoje o conhecemos. Não temos que gostar de tudo, obviamente. Mas não temos que deixar de reconhecer a qualidade das coisas.
Dois dos meus filmes preferidos são As Horas, e Star Wars (escolham um qualquer).
Estou a ler o livro Admirável Mundo Novo e acabei de comprar um volume do Homem-Aranha.
Fui ver Russel Watson e voltei para casa a ouvir Static Lullaby no carro.
É mais ou menos isto.

Comentários:
gosot dos dois filems que referis-te e concordo com o que dizes :P mas enfim o mundo é mesmo assim, somos todos um pouco diferentes uns dos outros...
 
aimmm o william patrick corgan.. esse maluco.. é capaz d ser mais natural haver quem n o consider um génio da musica do q, por exemplo eu n considerar q os the doors tenham sido a melhor banda do ultimo seculo, mt sinceramente, se gosto de 3 ou 4 musicas deles é mt e tb n axo q o nervermind seja grande album.
(claro q o meu comente tinha q ser virado pa esta parte)

PS (n é o partido politico): russel watson tem uma voz do catano mm.. dáva-lhe bem no metal..
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

Arquivos

Junho 2004   Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Junho 2005   Julho 2005   Agosto 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Agosto 2007   Dezembro 2007   Janeiro 2008   Fevereiro 2008   Março 2008   Abril 2008   Junho 2008   Julho 2008   Agosto 2008   Janeiro 2009   Janeiro 2012  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]